Uma nova estrela chamada Polestar – caminho até ao Polestar 2 e o futuro risonho

Quando em 2017 foi anunciada a separação entre a Volvo e a Polestar, quem estivesse atento saberia bem que na realidade a antiga Flash Engineering iria sofrer uma revolução futurista, passando de uma simples divisão desportiva do grupo Volvo Cars para uma nova marca automóvel com personalidade própria, dedicada à produção de carros de motorização elétrica, mantendo-se conforme planeado no universo Volvo.

Tudo começou em 1996, quando a Flash Engineering surgiu na Suécia para suportar a participação do Volvo 850 Super Touring, construído pela Tom Walkinshaw Racing, no Campeonato Sueco de Turismos. Anos mais tarde, em 2004, a equipa desportiva foi comprada por Christian Dahl, sendo renomeada como Polestar no ano seguinte. Em 2009, a Polestar, que foi mantendo atividade assídua no popular campeonato sueco, apresentou o seu primeiro projeto completo de carro de corrida, o Volvo C30 S2000, que teve por base a versão de estrada do C30. Foi com este modelo que a Polestar teve uma participação esporádica no Campeonato do Mundo de Turismos da FIA. A estrutura desportiva passou depois a designar-se de Polestar Racing. Ao mesmo tempo, a Volvo estabelece um acordo com Christian Dahl para que a Polestar começasse a preparar versões desportivas dos seus veículos, nascendo desse acordo a Polestar Performance. Dessa união nasceram as versões de estrada “Volvo S60 Polestar” e “Volvo V60 Polestar” a partir dos seus respetivos protótipos, tendo sido introduzidas em 2013 no mercado.

Em 2015, a Volvo Cars compra a Polestar Division, enquanto que a Polestar Racing mantém-se nas mãos de Dahl, sendo renomeada de Cyan Racing e mantendo a ligação à nova subsidiária da Volvo para subsistir nas competições com modelos Volvo. A Cyan Racing mantém-se ainda hoje no seu campeonato caseiro, ao mesmo tempo que correria no WTCC com a versão de corrida do Volvo S60. Atualmente a Cyan Racing corre com a versão de corrida do Lynk & Co 03, de uma marca nascida no seio do mesmo grupo chinês onde se insere a Volvo Cars (Geely) e que, incompreensivelmente, ainda não tem representação em Portugal.

Em junho de 2017 a Volvo Cars anuncia que a Polestar iria brevemente começar a produzir carros elétricos com a sua própria marca, pretendendo concorrer com a popularíssima Tesla, significando que iria deixar de produzir versões desportivas para os modelos Volvo. Quatro anos antes, a Volvo apresenta o Concept Coupé, um protótipo de GT com linhas futuristas que buscou clara inspiração no clássico P1800.

Em vésperas do dia 17 de outubro de 2017, a Polestar apresentou um teaser que apresentava pistas, ainda que ténues, de que o seu primeiro modelo seria derivado do Volvo Concept Coupé, tais eram as semelhanças da traseira. No próprio dia da apresentação da marca com o símbolo da Estrela Polar e do novo modelo, o Polestar 1, essas suspeitas confirmaram-se.

O POLESTAR 1 – HÍBRIDO DE ALTA PERFORMANCE, O INÍCIO DE TUDO

Apresentado na cidade chinesa de Xangai, o Polestar 1 é um Grande Turismo de duas portas e quatro lugares (2+2) com tecnologia híbrida plug-in de última geração. O desenho deriva do protótipo original que foi desenhado por Thomas Ingenlath, na altura o diretor de design da Volvo e que assumiu desde a primeira hora o lugar de CEO da Polestar até aos dias de hoje. Incorpora dois motores elétricos localizados lado a lado no centro do eixo traseiro, que possuem a tecnologia de vectorização de binário e controlam o envio de potência para as rodas traseiras, e ainda um gerador de arranque integrado (ISG). Este duplo motor elétrico produz 218 cavalos e complementa a performance do motor térmico I4 de 2.0L a gasolina da família DriveE. No modo puramente elétrico, o Polestar consegue uma autonomia de 150 km, graças a um pack de 3 conjuntos de baterias de 34 kWh. A potência combinada do sistema híbrido é de 609 cavalos. Já o binário atingiu a barreira dos 1000 Nm. Tudo graças a uma transmissão automática de 8 velocidades que – aliando ao facto de o motor de combustão turbo possuir um compressor mecânico que comprime e força o ar a entrar nos cilindros (até às 3500 rpm), minimizando o efeito de “turbo lag” – faz o GT hibrido de alta performance acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 3,9 segundos.

Em termos de dimensões, o comprimento deste modelo é de 4,5 metros, cerca de meio metro a menos do que o Volvo S90. A estrutura, derivada do S90, sofreu alterações de modo a receber 50% de novos componentes com vista a uma otimização, permitindo, em conjunto com o corpo em fibra de carbono, reduzir o seu peso em 230 kg, aumentar a rigidez torcional em 50% e baixar ainda mais o centro de gravidade.

O Polestar 1 adota uma nova suspensão da Ohlins, com tecnologia LESi (Continuosly Controlled Eletronic Suspension) que permite otimizar o controlo do chassis de modo a atingir uma “performance progressiva”, conforme designado pela marca. O sistema de travagem é formecido pela Akebono, com pinças de 6 pistões e discos de 400 mm. A distribuição do peso é de 48-52.

O interior do novo Polestar 1, claramente Volvo.

Com uma carroçaria de desenho naturalmente aerodinâmico, o interior tem claros traços do concept original da Volvo e dos atuais porta-estandartes da casa-mãe. Este estilo será repercutido nos próximos modelos da Polestar, entre eles o já apresentado em versão definitiva Polestar 2, um sedan total de motorização totalmente elétrica, e o Polestar 3 que será um SUV também totalmente elétrico (já revelado em versão protótipo). Todos os modelos apenas estarão disponíveis online; para saberdes mais pormenores, é só clicar em processo de aquisição. De momento, desconheço se algum português ou portuguesa chegou a adquirir algum exemplar do Polestar 1, mas o melhor de tudo é que o Polestar 2 já pisou solo português e será experimentado em vários concessionários oficiais Volvo entre 18 de julho e 28 de agosto, num evento especial de apresentação nacional. Mas não é tudo! Já lá iremos…

Entre 2019 e 2022, o Polestar 1 foi produzido na sua versão final, nas instalações da Polestar sediadas na localidade chinesa de Chengdu, numa série limitada de 1500 exemplares, todos vendidos. Tornou-se famoso a ponto de ser vencedor de 8 prémios automobilísticos de nível internacional, tendo mesmo participado com distinção no famoso Goodwood Festival of Speed em 2021, juntamente com uma versão updated do Polestar 2. Entre comentários claramente favoráveis de publicações internacionais e de clientes, destacam-se os seguintes: “Simplesmente redifine todas as regras até agora convencionadas para os automóveis GT de alto desempenho.” (What Car); “O Polestar 1 não se assemelha a qualquer outro automóvel em circulação.” (Insider); “É como se tivéssemos pegado num GT que já existia e melhorado cada ínfimo pormenor.” (cliente, após test-drive); “Lançou-se rumo ao horizonte e nunca mais parou.” (cliente, após test-drive). No fundo, foi com o Polestar 1 que a verdadeira essência do clássico Volvo P1800 tornou-se mais transparente do que nunca nos novos tempos da mobilidade. Quando este primogénito herdeiro da ancestral história desportiva da Polestar nasceu, a nova marca sueca já sabia muito bem o que queria para o seu risonho futuro: desportividade 100% elétrica em total segurança. Por isso, e tal como Thomas Ingenlath preconizou, o Polestar 1 tornou-se oficialmente no fim do início da saga da “Estrela Polar”.

Não obstante o facto de estar sob domínio chinês (o que não é necessáriamente mau, até pelo contrário!), a Polestar conseguiu, dentro da sua própria filosofia, estabelecer o seu status quo como marca desportiva do grupo Volvo Cars e, ao mesmo tempo, firmar os seus mais nobres princípios de sustentabilidade e de mobilidade 100% elétrica. Este último ponto é justamente o mesmo caminho que a própria marca Volvo Cars já trilhou com o lançamento do crossover 100% elétrico C40 Recharge e a versão 100% elétrica do convencional SUV XC40 (com o mesmo powertrain). Mas chega agora o tempo de virar a página e abordar todas as características do Polestar 2. Não sem partilhar o seguinte vídeo de SPUNIQCARS VLOGS que dá uma ideia basilar acerca da essência do segundo modelo da Polestar. Já agora: que achais da ideia da Polestar ingressar no popular campeonato mundial de monolugares 100% elétricos?…

POLESTAR 2 – O PRIMEIRO SEDAN DESPORTIVO 100% ELÉTRICO

Antes de começar a abordar as características do novo Polestar 2, é sempre importante reforçar o facto de todo o processo de construção de qualquer exemplar da Polestar seguir todos os parâmetros de segurança que estão na base do excelente nível de segurança de todos os carros construídos pelo grupo Volvo Cars em toda a sua história desde 1927. Não querendo menosprezar a Tesla, não posso deixar de manifestar um certo desconforto ao ver uma firma americana, que lançou o boom da mobilidade elétrica automóvel, a deixar cair os seus créditos em mãos alheias. Posto isto…

O Polestar 2 segue claramente as linhas filosóficas de design do primogénito Polestar, mas principalmente do concept Volvo Concept 40.2, tendo sido desenhado pelo atual CEO da marca, Thomas Ingenlath. Genericamente, é um automóvel liftback (forma derivada de sedan) de cinco portas 100% elétrico. Assente na plataforma CMA, a mesma que serviu de base ao Volvo XC40 (e sua variante elétrica) e ao Volvo C40 Recharge, foi revelado na sua forma final a 27 de fevereiro de 2019 durante uma livestream online e de seguida seguiu para o Salão de Genebra onde seria exibido no mesmo ano. No ano seguinte, o fatídico ano do surgimento da pandemia COVID-19, o Polestar 2 começou a ser produzido, desta feita na CMA Super Factory sediada em Luqiao (Zheijang, China), sendo o primeiro modelo a ser produzido em larga escala para as três regiões globais do mundo. É com este modelo que, a 20 de maio de 2022, a Polestar anuncia a sua chegada ao mercado português.

De acordo com o comunicado oficial da marca, o Polestar 2 e os modelos seguintes “podem ser adquiridos online através de um processo simplificado e totalmente digital, o qual será complementado pelas suas lojas físicas, conhecidas em todo o mundo como Polestar Spaces e Polestar Destinations, para uma completa experiência premium. Estes ambientes personalizados permitem aos clientes interagir fisicamente com a marca e falar com os (…) Polestar Specialists, permitindo que o cliente explore o veículo com mais detalhe e, caso deseje, efectuar um test drive. O primeiro Polestar Destination em Portugal está previsto abrir ao público durante o quarto trimestre de 2022 na zona do Porto, seguindo-se-lhe Lisboa”.

«O Polestar 2 é um carro muito atrativo e poderoso com um design vanguardista e moderno que realmente se destaca; os nossos clientes adoram-no», diz o CEO da Polestar, Thomas Ingenlath. «É a combinação perfeita de características chave que o evidencia quando falamos do prazer de conduzir, da alegria e da diversão que é fazê-lo – o aspeto emocional.». Não é por acaso que, logo no seu primeiro ano de produção, recebeu os títulos de Carro do Ano na Noruega e na Suíça, de melhor EV da revista Top Gear (BBC), Best of the Best, da Red Hot, e o cobiçado prémio Goldene Lenkrad (Volante Dourado), na Alemanha. A revista Top Gear afirmou mesmo que o Polestar 2 é “um dos veículos elétricos mais completos à venda. Excelente qualidade de construção e agradável de se conduzir.”

Thomas Ingenlath, o seu Polestar 2 e o seu Volante Dourado…

O Polestar 2 oferece duas motorizações: uma de motor síncrono de íman permanente simples colocado no eixo dianteiro (single motor) que lhe confere tração dianteira, e outra de dois motores síncronos de íman permanente (dual motor, um em cada eixo) que lhe confere tração integral. Em qualquer situação, o valor absoluto de binário encontra-se disponível mesmo antes do pisar do acelerador. O single motor oferece dois níveis de autonomia (em ciclo WLTP): o nível Standard Range, com 474 km (com a bateria de 69 kWh de capacidade e 24 células), e o nível Long Range, com 542 km (com a bateria de 78 kWh de capacidade e 27 células). Já o dual motor fornece uma autonomia de 480 km unicamente com a bateria de 78 kWh de capacidade e 27 células. Escusado será dizer que as baterias são compostas de iões de lítio. Naturalmente que o single motor é mais leve do que o dual motor em termos de peso. Em termos de performance, o single motor “solta” 231 cv (170 kW) de potência, 330 Nm de binário, uma aceleração de 0 a 100 km/h em 7,4 segundos e uma velocidade máxima limitada eletronicamente a 160 km/h; já o dual motor “rebenta” com 408 cv (300 kW), 660 Nm de binário, uma aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 4,7 segundos (curiosamente uma inversão numérica simétrica face ao single motor) e uma velocidade máxima limitada eletronicamente a 205 km/h. Em termos de carregamento de bateria, ambas as baterias podem ser carregadas em carregadores públicos em apenas 35 minutos (CC, 10-80%) ou numa wallbox doméstica (CA, trifásica, 16A) durante 7 ou 8 horas consoante se a capacidade da bateria for de 69 kWh ou de 78 kWh. Qualquer das versões do Polestar 2 tem uma capacidade notável de reboque até 1,5 toneladas, o que diz bem da sua elevadíssima solidez de construção.

Em termos globais, a autonomia em ciclo WLTP do Polestar 2 entra no rol das mais competitivas do mercado. Pessoalmente, considero que, embora a versão mais performante tenha um nível de autonomia francamente razoável (480 km), a que melhor compensa, até pela relação custo/autonomia é claramente a versão single motor long range. Sobre este tema, sugiro que comentem diretamente na caixa de comentários abaixo deste artigo ou então na publicação deste artigo patente na pagina de Facebook. Em termos de preços, estes começam nos 49.900 euros na versão base e podem alcançar um valor máximo de 78.200 euros (63.577 euros para empresas e empresários em nome individual, pois neste caso é descontado o IVA) com a inclusão de todos os extras, contando com a sofisticada cadeira infantil ISOFIX, a preciosa barra de reboque semielétrica (para o caso de um dia a família Ricardo quiser fazer uma espécie de turismo sustentável) e, claro, todos os packs relacionados com o conforto (Pack Plus), segurança (Pack Pilot Lite) e performance (Pack Performance). Tendo em conta a inclusão de todos os itens e o inequívoco nível de qualidade premium, considera-se que a relação qualidade/preço do Polestar 2 é das melhores do mercado.

Em termos de dimensões e de peso, o Polestar 2 apresenta uma distância entre eixos de 2735 mm e dimensões de envergadura de 4606x1859x1482 mm, assim como pesos mínimos de 1940 kg (Standard Range – Single Motor), 2040 kg (Long Range – Single Motor) e 2150 kg (Long Range – Dual Motor). Sem dúvida que o peso continua a ser o grande inimigo dos carros 100% elétricos, mas isso certamente mudará no futuro…

Exteriormente, o Polestar 2 é incrivelmente refinado, estiloso, arrojado e futurista e com pose desportiva, sem ser ostensivo mas pura e simplesmente ser distinto dos demais. A isto se junta o elevadíssimo nível tecnológico emanado por esta “estrela polar” (ou “urso polar”, ou como lhe quiserem chamar…). Tudo com a naturalidade que caracteriza o próprio planeta onde “habita”. Tantos os faróis como a “retangular” faixa de luz traseira incorporam a mais avançada tecnologia de iluminação em LED com pixeis, para uma melhor orientação de acordo com o ambiente de luz onde o carro circula. Os espelhos retrovisores de design único não possuem qualquer tipo de moldura, contribuindo para que o volume dos espelhos seja reduzido em 30% face a um espelho normal (diga-se, da Volvo) e para um melhor desempenho aerodinâmico do carro. A cor exterior de série é em tom Magnesium, mas podemos optar por uma das seguintes cores: Snow, Thunder, Jupiter, Midnight e Space. Como não podia deixar de ser em carros de categoria premium, os puxadores de portas são inteligentes, de baixo perfil, com funções táteis para trancagem e destrancagem; integram mesmo a iluminação do piso para uma melhor visibilidade sobre a zona que rodeia o veículo. As jantes e os pneus enquadram-se na perfeição na filosofia do carro e da própria marca, seja com as jantes de liga leve de 5 raios duplos Black Diamond Cut de 19 polegadas e pneus 245/45 R19 (de série). seja com as rodas de inverno completas ou as jantes de liga leve de 5 raios em “V” Black Silver de 20 polegadas (exclusivas do Pack Performance). Ficaria mal se o Polestar 2 não estivesse equipado de série com um sistema de acionamento da porta da bagageira que se ativa através do movimento de uma das pernas para a frente, certo famílias?

Passemos agora a abordar o confortável Pack Plus. Este conjunto de sistemas de conforto e lazer foi concebido especificamente para otimizar o conforto e lazer de todos os passageiros de todas as idades e estilos. O sistema de som premium de alta fidelidade é fornecido pela Harman Kardon e utiliza um avançado software de afinação Dirac para eliminar as imperfeições sonoras inerentes ao interior do carro. Isto significa que cada passageiro pode disfrutar de um som impressionante e imersivo, independentemente do lugar onde esteja sentado. Aliás, o interior do Polestar 2 foi concebido tendo em mente o desempenho acústico, daí que o sistema de som possua 13 altifalantes, dois dos quais em forma de subwoofer (um na bagageira e outro na zona do porta-luvas), um deles ventilado a ar de forma a poder pulsar mais ar, mas também a minimizar o ruído fora do habitáculo. Tanto o volante como todos os bancos e até os aspersores do fluido do lava-vidros são aquecidos (que outro carro faz isto?). O sistema de climatização contém uma bomba de calor que controla a temperatura do habitáculo e ajuda a poupar a energia da bateria, através da recolha de energia térmica do ar e do calor desperdiçado do grupo propulsor e da bateria. Os bancos não possuem nenhum tipo de pele, mas sim um tecido 100% vegano denominado de WeaveTech, leve e duradouro, que traz uma elegância fresca e moderna a todo o interior, estando disponível nas cores Slate ou Charcoal. Este tecido é produzido utilizando um processo de alta qualidade que reduz a quantidade de plastificante químico para cerca de 1% em comparação com a norma industrial de 45%, constituindo, pois, um revestimento de estofos preparado para o futuro, desenvolvido para cumprir tanto a regulamentação atual como a futura. Dentro do revestimento do interior, também ele de WeaveTech, existem as inserções Black Ash deco que destacam a estrutura física da madeira, utilizando para tal um corante de madeira preto que faz sobressair as irregularidades do grão de modo a obter um aspeto de baixo brilho e textura, o que significa uma maior utilização da madeira disponível e menos desperdício. A iluminação do interior é de nível elevado graças ao conjunto de luzes cuidadosamente concebido que proporciona uma atmosfera acolhedora que realça o alto design do interior, para além de beneficiar a iluminação do interior e da bagageira. A luminosidade natural é reforçada pelo teto panorâmico, constituído por uma camada de vidro laminados escurecidos, que estimula a sensação de espaço desafogado, reduzindo a radiação UV e o nível de ruído. Para este efeito contribui também o vidro traseiro escurecido. O piso da bagageira possui a função “tampa na tampa”, que impede que sacos com compras e outros objetos rolem no interior da bagageira com os movimentos do carro; é também uma excelente opção de armazanemento seguro para qualquer tipo de equipamento portátil como tal como as caixas refrigeradoras, que podem ser ligadas à tomada de 12 volts instalada de série. Como excelente modelo premium que se presta, o Polestar 2 vem equipado com um sistema de carregamento de bateria de smartphones por indução e sem fios.

O seguinte sistema, o Pack Pilot Lite, é sem dúvida o mais indispensável de todos, até porque é provavelmente o mais completo sistema de segurança do mundo automóvel (vulgo ADAS). Fundamentalmente, caracteriza-se por ser um sistema preventivo, adaptativo e sempre atento a todas as situações que ocorrem interiormente (dentro do veículo) e exteriormente (fora do veículo). Começando pelo complexo sistema de sensibilização do condutor, constituído pelos sistemas Blind Spot Information System, Cross Traffic Alert e o Sistema de aviso de colisão traseira e Mitigação. O sistema de aviso de ângulo morto – Blind Spot Information System – deteta veículos que estão prestes a passar e acende uma luz de aviso integrada nos espelhos retrovisores e, caso detete que o carro ainda esteja a mudar de faixa, o sistema de direção assistida endireita-o para o centro da faixa. O sistema de apoio à travagem – Cross Traffic Alert – deteta veículos, ciclistas e peões que se aproximam ao fazer marcha atrás, mesmo nas curvas, e sempre que o radar deteta uma possível colisão, emite um aviso sonoro e visual, travando o veículo automaticamente em caso de colisão iminente. O sistema de aviso de colisão traseira e Mitigação verifica se há veículos atrás do veículo e calcula o risco de colisão; se um veículo se aproximar demasiado, o sistema avisa o condutor, ativando rapidamente as luzes indicadoras intermitentes; se detetar uma colisão iminente, o sistema consegue também pré-tensionar os cintos de segurança e travar automaticamente. O Controlo de Velocidade Adaptativo deteta o veículo que circula à sua frente, ajustando a velocidade sempre que necessário e alertando o condutor quando o trânsito começa novamente a andar; em qualquer momento, basta tocar no acelerador ou no travão se quiser assumir o controlo da velocidade. O Pilot Assist complementa o Controlo da Velocidade Adaptativo ajudando o condutor a manter o bólide no centro da via de trânsito; a câmara e o radar que controlam a velocidade também monitorizam a posição do veículo, fazendo ligeiros ajustes caso este esteja a aproximar-se das linhas de delimitação da via de trânsito. As Câmaras 360º permitem-lhe ter uma visão panorâmica em redor do Polestar 2; são quatro as câmaras que permitem uma visão de 360º em redor de uma imagem virtual do veículo, que ajuda a fazer manobras em espaços exíguos sem incidentes. Os espelhos exteriores anti-encandeamento sem moldura incluídos no Pack Pilot Lite obscurecem automaticamente, evitando os indesejados reflexos de luzes fortes quando se conduz em estradas escuras ou sob más condições de iluminação; para que o processo seja ainda mais simples, interagem perfeitamente com o espelho retrovisor interior. O Polestar 2 está equipado de série com o sistema de assistência ao estacionamento, que mede a distância até aos obstáculos na dianteira e na traseira e alerta o condutor com avisos visuais e sonoros; com o Pack Pilot Lite, este sistema também mede a distância lateral do veículo, sendo possível manobrar ainda mais facilmente e com maior precisão em lugares de estacionamento exíguos.

Por último, e porque o Polestar 2 sente necessidade de expandir a sua veia desportiva, foi concebido o Pack Performance, exclusivamente para a versão Long Range Dual Motor. É aqui que se consegue extrair uns “pozinhos de perlimpimpim” na performance do Polestar 2, tornando-o mais selvagem, mais ágil, mais dinâmico e mais cativante. A grande essência do Pack Performance é a atualização de software de desempenho que possibilita vários incrementos: um aumento de potência e de binário, dos normais 408 cv (300 kW) e 660 Nm para os 475 cv (350 kW) e 680 Nm, o que lhe permite reduzir o tempo de aceleração dos 0 aos 100 km/h para apenas 4,4 segundos; uma melhor capacidade de resposta através da alteração do mapeamento do pedal do acelerador, provocando uma resposta mais rápida dos motores à aceleração com ótimos benefícios para o exacerbar de emoções 😀 ; por fim, a função de Launch Control, que é ativada carregando simultaneamente no pedal do acelerador e do travão, pré-estabelecendo um binário de arranque superior para disponibilizar a máxima potência mesmo com o veículo imóvel, potenciando uma aceleração brutal e uma progressão dinâmica ainda mais forte. A atualização para este nível de software por ser feita pelos atuais proprietários do Polestar 2 Long Range Dual Motor através de uma simples atualização Over-the-Air, estando disponível como opcional pós-venda na loja online Polestar Extras. Juntamente com a atualização de software de desempenho, o Polestar fica equipado com: o sistema de travagem Brembo (de Itália), composto por discos ventilados e pinças em alumínio de quatro pistões que oferecem maior rigidez e rapidez de resposta a qualquer temperatura, ao mesmo tempo que reduzem o peso, o desgaste, o ruído e a acumulação de poeiras; os suecos amortecedores de válvula de fluxo duplo Öhlins DFV (da Suécia), que oferecem uma aderência e tração ímpares, enquanto mantêm uma condução equilibrada e, além disso, permitem ao condutor escolher entre 22 definições de suspensão, enfatizando a herança destes peritos em suspensões no que respeita à conceção de sistemas de alto desempenho; as jantes de liga leve forjadas de 20” – que são sempre mais leves e fortes do que as jantes de liga leve convencionais, melhorando a agilidade e maximizando o contacto com a estrada -, cujo brilho metálico e superfícies complexas são o resultado de uma técnica patenteada de gravura a laser, reduzindo significativamente o consumo de energia em comparação com o corte com diamante; last but not least, os cintos de segurança Pack Performance, cuja cor dourada é a mesma das pinças dos travões Brembo, os amortecedores e as tampas das válvulas dos pneus. Obrigatórios no Pack Performance são também os dísticos informativos (com instruções de montagens à moda sueca) para as portas com informação de potência atualizada, assim como um autocolante com a insígnia da marca para a grelha dianteira do veículo.

O Polestar 2 é ainda o primeiro carro do mundo a incluir o sistema de infoentretenimento Android Automotive OS que incorpora o motor de pesquisa Google, proporcionando um ambiente digital estável e adaptável que permite a coexistência de aplicações e funções automobilísticas, que, pela primeira vez, fazem a sua incorporação com os serviços Google – incluindo o Google Assistant, o Google Maps com apoio para veículos elétricos e a Google Play Store. Os comandos de voz natural e o ecrã tátil de 11 polegadas são o sustentáculo deste novo interface.

E para os saudosistas petroheads, existe uma versão muito especial do Polestar 2, denominada de Polestar 2 BST edition 270, inspirada na versão que esteve presente no Goodwood Festival of Speed em 2021, cuja produção está limitada a 270 unidades e dependendo sempre do interesse manifestado pelo público. É, sem dúvida, a versão mais hardcore do Polestar 2. Todos os pormenores podem ser descobertos clicando aqui (recomendo vivamente).

A Polestar já concebeu outros concepts cars que darão origem a novos modelos, tais como o Precept, um estudo sobre um espetacular GT de quatro portas que dará origem ao Polestar 5 (previsto para o ano de 2024) e o igualmente stunning Polestar O2, neste caso um roadster que será o herdeiro espiritual altamente tecnológico (upa upa!) do Polestar 1. Quanto ao futuro Polestar 4, esse será um SUV desportivo mais compacto do que o Polestar 3. E o que dizer de Thomas Ingenlath? Ele é uma espécie de “Jean Rédélé”, mas ao contrário. Ao passo que o malogrado francês criou a Alpine por mérito próprio e de acordo com os seus ideais, com o apoio da Régie Renault, para depois ser integrada no universo Renault como Renault Sport (em 2017 renasceu como Alpine Cars e desportivamente substituiu a Renault Sport em 2022), o alemão conseguiu, com o apoio da Volvo Cars e do Grupo Geely, transformar uma simples divisão desportiva da Volvo Cars em marca própria com identidade própria, mais desportiva e mais refinada que a própria Volvo Cars, também por mérito próprio e conjugando os seus ideais de design, construção e filosofia com os da Volvo Cars. A história da Polestar é, no fundo, uma história espiritual e mitológica, antes de se materializar em carros verdaderamente apaixonates sob todos os aspetos.

Quanto à questão de se perceber se o Polestar 2 é melhor do que o Tesla Model 3, essa questão não tem razão de ser, porque são dois modelos muito diferentes na sua conceção. Nem é sequer o objetivo deste artigo. Até porque quem bem entende de indústria automóvel percebe logo qual dos dois é o melhor… ou não?

Oh pá, qual Porsche qual Ferrari qual Bentley qual Jaguar qual Tesla qual ét cétera?! Eu quero é um Polestar na minha garagem! E, já agora, um Koenigsegg, mas isso é outra história…

Uma coisa é certa: tal como eu e a Liliana Ricardo (minha esposa) testámos o primeiro SUV 100% elétrico da história da indústria automóvel britânica, também testámos não uma, mas as duas versões de motor do Polestar 2, a 30 de junho de 2022, num evento dedicado à apresentação nacional do modelo. Por isso, não percam o seguinte episódio de SPUNIQCARS VLOGS, porque nós também não! Com estreia no feriado de 15 de agosto de 2022 pelas 12 horas em ponto!

O projeto SPUNIQCARS dá as boas-vindas à marca sueca da Estrela Polar (Polestar).